segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Pedalar é preciso

Quando estou andando de bicicleta pelo Cajuru quase nada me preocupa. O vestibular está chegando? Que venha! Os juízes continuam roubando o Galo? Que roubem! Estou sem grana e sem namorada? Fazer o que, né? As únicas coisas que me preocupam são os pneus furarem, algum cachorro vir correndo atrás de mim ou eu cair e quebrar algum osso... Mas Deus tá comigo e me protege dos cães, das quedas e dos pregos e espinhos.
Mas quando desço da bicicleta, todas as minhas aflições voltam. Volto a temer o vestibular, a querer atacar um árbitro, a sentir o peso da falta de grana e da solidão... É por isso que quero fugir de bicicleta! Pedalar o maior tempo possível... Olho o mapa do Brasil no meu guarda-roupas e o Google Earth e vejo quanto o Brasil é grande e quão pouco conheço meu próprio país. São tantos lugares que eu gostaria de visitar. Belo Horizonte, Goiânia, Natal, Rio Quente, Praia Grande, Porto Alegre, Brasília, Gramado, Poços de Caldas, São Paulo, Canoas...
Talvez o Brasil seja pequeno demais pra minha vontade de pedalar. Tudo bem, eu sigo pela América do Sul. Do Sul do país sigo pro Uruguai, de lá pra Argentina e assim vai! E se a América do Sul não for suficiente, então sigo pela América Central! Sempre quis conhecer as cidades astecas mesmo. E de lá pra América do Norte, Europa, Asia, África, Oceania e, finalmente, Antártica...
Sei que é difícil fazer isso, mas sonhar não custa nada.
Ainda...

Lucas C. Silva

3 comentários:

Ângela Lucia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ângela Lucia disse...

Grande Lucas...
Eu sei como a gente se sente quando estamos por essa bandas de lá...
Tudo é mágico, tudo é fantasia...
È um mundo de sonhos...
Ah! E que sonhos!
A gente se sente tão poderoso por lá, né? Nada nos aflige.
Lendo esse seu texto eu me senti lá com vc pedalando a bike,sentindo aquele ventinho gostoso, misturado com aquele "cheirinho de terra mineira", cheirinho de mato...
Aquele "cheirinho" q nós dois sabemos como é...
É uma pena termos q acordar e ver que a realidade é outra, né?
Mas continue assim, expondo seus sentimentos e sonhos, para que todos sintam a sua sensibilidade e veja a quanto vc é especial....te amuuuuu.bjos

Bruno Giorgi disse...

Cara, incrível, de certa forma compartilho do mesmo sentimento que você! Quando qualquer coisa não sai do jeito que eu espero só penso em pegar minha magrela (a Sol) e pedalar, pedalar, pedalar até não agüentar mais! rsrsrs Tb quero conhecer muito do Brasil e da América Latina, e acho que o melhor jeito de se conhecer um lugar é com a boa e velha magrela!

Abraço.