sexta-feira, 30 de maio de 2008

As Aventuras de um mineiro em Minas

Parte 2 - Rotina.

É, gente, passei a primeira noite aqui decidido a voltar pro Rio o mais rápido possível e agora não quero ir embora. Tá, continuo sentindo falta da família, das minhas coisas e meu MP4 estragou mesmo, mas se eu até sonhei essa noite que eu tava de volta ao Rio e não tinha aproveitado aqui direito, é porque meu subconsciente está me mandando ficar mais por aqui.
É engraçado que, enquanto eu vinha para o Cajuru, relia 20.000 Léguas Submarinas e me imaginava no lugar do professor Aronnax. O cara, que tinha assuntos pra tratar em Paris, plantas pra cuidar e imaginava que sua viagem duraria pouco tempo. Acabou passando meses no Nautilus. Estou passando mais ou menos pela mesma situação.
Só que aqui estou entrando no mesmo problema que eu tinha no Rio: a rotina. Acontece que, assim como no Rio, meus amigos aqui ou trabalham, ou namoram ou estudam. Acaba que durante a manhã eu fico ou andando por aí com a Fernandinha (minha bicicleta) ou escrevendo sobre os personagens das Histórias de Cordeirinho (gente, tô fazendo um grande projeto, fazendo suas árvores genealógicas e suas biografias. Vai dar uma grande série de livros, se Deus quiser). À tarde vou na minha tia e a noite, durante a semana a cidade morre. Acabo ficando em casa vendo Malhação (ECA!) e Chaves e escrevendo mais sobre os personagens de Cordeirinho.
Hoje é sexta e com o fim de semana chegando, é capaz das coisas melhorarem um cadinho. É, mas a coisa tá feia é pra minha tia. Acontece que o pai do filho dela não manda mais pensão e tá com ordem de prisão decretada. Mas a mesma polícia que prende traficantes de outros estados (eles vêm pra Minas pensando que os mineiros de verdade são bobos iguais aos das novelas) quer que ela descubra o endereço dele para que os policiais vão prendê-lo. Dá pra acreditar numa coisa dessas? É, não sei se já disse aqui, mas no Brasil, o crime compensa.
Ah, gurizada, é isso... Se eu tiver mais alguma coisa pra contar, não estou lembrando agora. Volto qualquer dia desses trazendo mais notícias da Pasárgada.
Saudações Cajuruenses!
Lucas Conrado Silva.
PS. só agora percebi que faz dias que não ouço ninguém me chamar de Lucash!

2 comentários:

Solitário disse...

Putz, quanto tempo que não passo por aqui....

Uma mudança de ares sempre faz bem, faz a gente perceber que existe muito mais vida além da nossa vida cotidiana...
Agora que vc tá em aqui em MG vc pode acompanhar o Galo mais de perto e sentir o tamanho do desespero dos atleticanos com essa atual fase do glorioso...

Debora Ferreira disse...

isso mesmo, me deixa MORTINHA de inveja pqe vce tá na terra maravilhosa e eu to indo praquela tal dquela sao paulo :S
heehehehe

cidade interior eh assim mesmo, mas eu acho mto gostoso esse clima paradãao...e os finais de semana no interior sao os mais legais !
nao me decepciona, aproveitaa HORRORES! ahsoihaoishoasi