sábado, 9 de agosto de 2008

Um amor não correspondido

Quando me perguntam por que sou atleticano, mesmo com o time lutando contra o rebaixamento ou após sofrer uma goleada, respondo que ser atleticano é quase como amar uma garota que não nos ama.
Quem já passou por isso, sabe. Quanto mais a garota o despreza, mais o apaixonado a ama. Não importa o quanto as pessoas o mandam trocar de amor ou se aparecem garotas tão bonitas quanto, ou até mais bonitas que a amada, ele quer aquela em especial. Mesmo que a garota insista que não o ama e até ande por aí com outro rapaz, o apaixonado a quer e ponto final.
O mesmo acontece com o torcedor atleticano. As pessoas podem tentar convencê-lo a torcer pelo Grêmio, São Paulo ou Goiás. Os outros times podem ganhar Brasileiros, Libertadores e Mundiais. O Atlético pode ser rebaixado para a Série C e ainda ficar anos sem conquistar sequer um campeonato de pelada de fim de semana. Pode acontecer tudo isso e muito mais que o atleticano vai se arrepiar ao ouvir o hino do time, vai vestir sua camisa e vai lotar o Mineirão como se estivesse indo assistir a uma final de Copa do Mundo.
Certa vez, em uma dessas minhas viagens por Minas Gerais, conheci uma garota. Linda! Seu sorriso era o mais lindo de Minas (se não fosse do mundo), seus cachinhos eram os mais encantadores e cantava com uma voz doce, de anjo. O óbvio aconteceu e me apaixonei por ela. A mineirinha me via apenas com amigo e dizia sempre que só queria minha amizade. Sofri por ela não gostar de mim do jeito que eu gostava dela, mas não deixei de amá-la... por um tempo. Voltei para o Rio de Janeiro e decidi esquecê-la. Não olhava mais suas fotos, não mandava mensagens para ela na internet. Ao conversar com meus amigos, não perguntava por ela e se falassem sobre a garota, eu respondia como se estivesse falando de outra pessoa qualquer. Parecia que finalmente ela tinha saído de meus pensamentos. Então surgiu a oportunidade de visitar sua cidade e, por mais que eu negasse (até pra mim mesmo) eu estava louco para vê-la. Seu sorriso voltou a ser o mais lindo do mundo, sua voz, a mais doce de todas e sua companhia a que mais me fazia feliz.
Engraçado é que nesse período, o Atlético andou perdendo e só me dando desgosto. Assim como no caso da garota (que, infelizmente, torcia pelo time errado), decidi esquecê-lo. Não vestia mais minhas camisas alvi-negras, não procurava notícias sobre o time, parei de assistir aos jogos e sempre que conversava com meus amigos, dizia "não ligo mais para futebol". Então meu primo chegou com um par de ingressos para irmos ao Mineirão. Hesitei um momento, mas acabei aceitando o convite. Ao chegar no Gigante da Pampulha e ver a torcida mais fanática do mundo, o Atlético voltou a ser minha grande paixão. Seu uniforme voltou a ser o Manto Sagrado, minha segunda pele, seu hino voltou a ser a mais bela canção e tive a certeza de ser novamente o atleticano mais fanático do planeta.
Torcer pelo Galo é assim. É ser fiel, apaixonado, amar cada vez mais apesar de todas as dificuldades. A única diferença entre o apaixonado não correspondido e o atleticano é que o primeiro, cedo ou tarde, troca de amor até encontrar a pessoa certa. Já o segundo sabe que encontrou o time certo e espera com a certeza que tempos melhores estão por vir.

Lucas C. Silva

12 comentários:

Euzer Lopes disse...

Eu nunca fui torcedor roxo, mas sei o que é isso.
Senti isso em 2002, quando o Palmeiras perdeu para o Vitória e foi rebaixado para a série B.
Nestas horas, a gente percebe que o time pode nos fazer morrer de vergonha de termos nascido (para um dia virmos a torcer por ele), mas mesmo assim, é um caso de amor eterno.
E totalmente compreensível e, por que não?, perdoável.

Wander Veroni disse...

Oi, Lucas!

Gostei da sua crônica e como vc relacionou os dois amores para falar da sua paixão pelo Galo. Não curto muito futebol, mas faço idéia do q vc falou pq o meu irmão é fanático pelo Cruzeiro, daqueles de chorar de raiva qdo o tima faz alguma coisa errada.

Qdo digo q posso imaginar é pq sou assim com notícias ou com um programa q admiro. Torço pelo programa ou gosto de ver o desenrolar de algumas notícias, as chamadas suítes, que virão uma história dentro do telejornal. Analiso o repórter, a edição, vibro qdo um repórter q admiro faz uma passagem mais ousada e uma matéria com um texto criativo. Sou apaixonado por notícias.

Abração,

=]
__________________
http://cafecomnoticias.blogspot.com

Pâm SãoPauliNa-RP disse...

Oie tudo bem?
Nossa lamentável a situação de seu time, o problema é que ninguem faz nada....

Precisa de renovação urgente!

Ta sumido de meu blog heim..
Beijoss

;*

Petter disse...

É verdade cara, tu tinha sumido achei que nem estivesse blogando mais =P

HAHAHA geral querendo que eu colocasse o Homer no TOP 5 quem sabe ano que vem né, abração!

Rodrigo disse...

Tbem amo meu time ... mesmo ele perdendo hoje ! =/

Reporter x disse...

senti isso, kuando corinthians foi rebaixado!
=x

Fran disse...

UHuahuhuha
que fofo!
^^

Quando o time dá mais alegrias que tristezas, tá valendo.
Difícil é torcer pro Criciúma. oh, céus!

boa semana, moço!

Tyler Durden disse...

O mais incrível é que parece que você postou depois do jogo contra o Grêmio. Mas é exatamente isso o que você disse, é um amor que não tem explicação e que não tem fim.

gerson disse...

Aí Lucas, andei sumido pq estou de férias e tenho acessado pouco a internet.
Legal o teu texto. Mas não é fácil sofrer eternamente. E acredito que com a idade o torcedor acaba distanciando-se do clube. Vi muito isso entre os torcedores mais velhos do Inter.
Abraço

Everaldo Vilela disse...

Fala Lucas,
Cara, o Galo é uma coisa de louco.
Não tem explicação.
Eu já falei dezenas de vezes sobre o Galo no meu blog.

Quando caiu ( http://blogdoeveraldo.wordpress.com/2005/11/27/enquanto-isso-num-lugar-chamado-futebol/ )...

e quando completei 100 jogos presente no estádio (http://blogdoeveraldo.wordpress.com/2008/09/28/cemvezesgalo/ )

Mas o amor ao Galo foi provado no meu salto de pára-quedas com a camisa do Galo [ http://blogdoeveraldo.wordpress.com/2008/07/09/salto2/] tanto que fui parar no MGTV [ http://blogdoeveraldo.wordpress.com/2008/07/12/atleticano-no-ceu-e-na-globo/ ].

Saudações Atleticanas!

Ah! eu me formei em jornalismo neste semestre cara... você escreveu no perfil "Quero me tornar um grande jornalista e escritor", vai fundo cara! É um curso sensacional; aprendemos a ouvir o que as pessoas tem para contar. É incrível.

Saudações atleticanas!

Debora Ferreira disse...

aah, eu jah chorei tanto por causa do Galo.. mas esse amor nao morre nao ! meu mundo é preto e branco ! Pode acontecer o que for, sei que a gente faz as pazes !

Uma coisa eu aprendi: o time mais lindo do mundo é o meu ! E ninguém me tira !

Anônimo disse...

great thing! cipciap cipcipcip