quarta-feira, 14 de março de 2012

Colossus: "Respect the classics, man!"

Colossus, com sua capota removída. Um clássico dos anos 80! (Foto: Lucas Conrado)


Lá pra outubro, ou novembro de 1997, minha mãe começou a fazer comigo um dos maiores mindgames que eu já vi. Ela começou a me falar de um carrinho de controle remoto dos anos 80 que era uma picape gigantesca, que ia para frente, para trás e que virava para os lados, que tinha tração nas duas e nas quatro rodas e o mais legal: Acendia os faróis! A propaganda foi tanta que eu acabei transformando aquele carrinho em sonho de consumo e me tornei o menino mais feliz do mundo ao ganhar, no Natal, o tão sonhado carrinho: O Colossus.

A GMC Sierra Grande do Duro na Queda inspirou o Colossus.
(foto:Reprodução da internet)
O Colossus foi o sonho de consumo de uma geração que, curiosamente, não foi a minha. Na verdade, só conheço um cara da minha idade que conheceu (e teve) um Colossus. Acontece que eu nasci em 1989, um ano antes de o Colossus parar de ser produzido. O carro foi lançado pela Estrela em 1984, inspirado na picape GMC Sierra Grande 4x4 do seriado Duro na Queda. Como eu disse acima, ele era fantástico porque tinha tração nas duas ou quatro rodas (os pneus eram de borracha), era completamente controlável, indo para frente, para trás e para os lados, além de acender os faróis quando apertávamos um botão no controle remoto. Outra coisa legal era que a capota da caçamba poderia ser removida, podendo ser uma SUV estilo Blazer ou uma picape mesmo. O Colossus foi lançado em duas cores: vermelho e prata, e fazia parte de uma coleção de carros de controle remoto da Estrela, que contavam com o Pegasus e com o Maximus.

Colossus com capota e faróis acesos.
(Foto: Lucas Conrado)
Quem já viu um Colossus de perto, deve ter reparado nos adesivos escritos "Lubrax", nas portas. Esses adesivos estavam aí porque o carro foi projetado, em conjunto, pela Estrela e pela Petrobras, que ganhou o direito de fazer propagandas nele. E, por falar em combustível, comprar as 13 pilhas que ele exige para funcionar sai tão caro quanto abastecer um carro de verdade. São seis pilhas de tamanho normal para o controle remoto, mais duas pilhas para acender os faróis e cinco pilhas grandes, tamanho D, para mover os mais de dois quilos que o carro (chamar o Colossus de carrinho é uma ofensa) pesa. Sério, comprar as pilhas pra mover o Colossus custa por volta de 60 reais, aqui no Rio de Janeiro!

Colossus sem capota.
(Foto: Lucas Conrado)
Por causa desse alto custo, meu Colossus ficou parado por mais de dez anos. A última vez que eu tinha brincado com ele foi, sei lá, em 2001, 2002 se muito. Depois disso, ele ficou dentro da caixa por muito tempo. Até que uma garota chamada Amanda entra nessa história.

Conheci a Amanda cinco dias antes do meu aniversário de 23 anos e logo de cara nos demos superbem. Numa de nossas inúmeras conversas, falei com ela sobre o Colossus. Mais ou menos o que eu disse nesse texto, inclusive a parte do preço das pilhas ter mantido o carro guardado por tanto tempo. Falei disso, mudei de assunto e beleza. Chegou o meu aniversário e a convidei para minha comemoração. Ela chegou com uma sacola e, disse que era uma surpresa para mim. Ao abrir a sacola, realmente, era uma surpresa. A garota comprou quase todas as pilhas que eu precisava para botar o Colossus na ativa novamente! Só faltou uma pilha D, que comprei depois, mas foi um presente superlegal! Coloquei as pilhas no carro e não é que ele funcionou direitinho?
Você não está contando errado. São 13 pilhas mesmo aí!
(Foto: Lucas Conrado)

Sério, é muito legal ver um clássico andando novamente. Especialmente se esse clássico marcou a sua infância como o Colossus marcou a minha. Ver o carro novamente em ação foi tão legal que gravei esse vídeo, postado no Youtube e retuitado pelo Azaghal, que elogiou tanto o Colossus no Nerdcast sobre brinquedos dos anos 80.


Sério, nunca existiu um carro de controle remoto (a pilha) que pudesse chegar aos pés do Colossus (ou de seus irmãos, Pegasus e Maximus). Tanto que a Estrela inventou de "relançar" o Colossus recentemente, o que acabou se tornando uma cagada maior que as mudanças que o George Lucas fez na trilogia original de Star Wars (Han atira primeiro, sim e Hayden Christensen como fantasma do Anakin é o cacete!). Os caras importaram um carrinho chinês genérico, sem a menor qualidade, pelas críticas que li na internet, e deram o nome de Colossus.

Isso só vem a confirmar a minha teoria de que hoje em dia, não se faz mais nada como nos anos 80!

Um comentário:

avian345 disse...

Eu tenho a Colossus, comprei a uns 3 anos atráz. Comprei no Mercado Livre, paguei R$ 320,00.
Era meu sonho ter uma desde quando lançaram, mas na época, a Colossus custava muito caro, era brinquedo de rico.
Tem vídeos da minha Colossus no YOUTUBE, ascessem o meu canal ( Avian 345 ).
Acho que a Pickup Colossus foi o melhor carro de controle-remoto que a estrela lançou até hoje.