sábado, 10 de novembro de 2012

Irônico

Vista do Murinho da Urca (Foto: Lucas Conrado)
Sexta-feira, cerca de 21h30. O bar na Urca, Zona Sul do Rio de Janeiro está lotado. Além do movimento normal para uma noite de sexta, Paulo reuniu amigos para sua festa de despedida. Depois de anos, conseguiu o que queria, estava de malas prontas para Belo Horizonte.
- Onde você vai trabalhar, Paulo? - perguntou Clarissa.
- Cara, é numa agência de comunicação. Consegui uma vaga no setor de Novas Mídias.
- É a área que você gosta, né? - comentou Maurício.
- É, sim!
- Mas você vai fazer o que exatamente? - disse novamente Clarissa.
- Então, com a Copa do Mundo chegando, o setor de turismo tá crescendo em Minas. Pelo que me disseram, a gente vai administrar os sites de alguns hoteis e hostels de Belo Horizonte e das cidades históricas, tipo Ouro Preto, Mariana e tal...
- E quando você vai embora mesmo? - perguntou Lara.
- O voo parte amanhã. Duas e meia.
- Galeão ou Santos Dumont?
- Santos Dumont!
- Ah, Paulo... vou sentir saudade de você... - disse Janaína, dando um abraço no amigo - não quero que você vá embora...
Paulo sorriu sem graça. Retribuindo o abraço, falou com carinho.
- Relaxa, Jana, Belo Horizonte é aqui do lado. Pega um avião e, em meia hora, tá descendo lá. Não tem desculpa pra não me visitar.
- Não é perto! Você vai morar longe...
- Que nada!
- Por falar em morar longe - comentou Gustavo com uma risada - agora acabou essa história de namoro a distância, né?
- Aí, Mineiro - comentou Maurício, chamando Paulo por seu apelido - agora você pode namorar as mineiras sem se preocupar com a distância!
- Verdade! - disse Clarissa - Por falar nisso, e a Beatriz? Já voltou da Itália?
- Já, mas ela foi embora de novo. Conseguiu uma bolsa de estudos nos Estados Unidos...
- Ela não para mais no Brasil? - perguntou Júlia, rindo.
- Bem, mas agora não tem mais por que não dar certo com as mineiras! Já tem alguma em vista? - disse Maurício.
- Que nada! Nem tô pensando nisso agora... - disse Paulo. O rapaz olhou ao redor e resmungou - Cara, tem meia-hora que pedi meu refri! Cadê o garçom?
Um garçom passou por ali. Paulo, Maurício e Gustavo fizeram sinais que foram completamente ignorados.
- Vou lá pegar minha Citrus!
- Traz uma pra mim?
Apesar dos protestos de Maurício, Paulo se levantou e foi ao balcão. Minutos depois, voltava com duas latas de Schweppes Citrus na mão, uma para ele mesmo e outra para Júlia. O bar estava tão cheio que o rapaz não se sentou à mesa. Deixou a lata com a amiga e foi ao murinho, dar uma respirada.
Ao encostar no murinho, Paulo percebeu uma garota sorrir para ele. Bonita, de cabelos cacheados e um olhar amigável e bem familiar. De onde Paulo a conhecia?
- É seu aniversário? - ela perguntou.
- Não... festa de despedida.
- Vai voltar pra Minas?
- Ahn... vou... como é que você sabe?
- Paulo! Sou Lívia, sua caloura. Você fotografou meu trote, não tá lembrado?
- Desculpa, Lívia... sou péssimo para guardar fisionomia. Ainda mais de um dia que fotografei umas 100 pessoas e todas pintadas! - disse Paulo, com um sorriso sem graça.
- Tudo bem. Mas, então, tá indo pra Minas pra estudar?
- Não, já me formei. Vou a trabalho mesmo.
- Que legal...

* * *

- O Paulo disse onde iria? - perguntou Maurício.
- Só falou que iria ali fora rapidinho - respondeu Júlia.
- Mas já faz quase 20 minutos que ele saiu... - comentou Maurício.
- Talvez ele esteja falando com alguém pelo celular... ajeitando as últimas coisas da viagem - sugeriu Janaína.
- Vou ver se acho ele.
Maurício se levantou, virando-se para a saída do bar. Janaína também se levantou e acompanhou o amigo. Ao chegarem na porta, viram Paulo, do outro lado da rua, abraçado a Lívia. A garota falou algo para Paulo que concordou com a cabeça. Ele riu e a beijou.
- Maurício...
- É, eu tô vendo!
- Mas, ele não vai pra Minas amanhã?
- Vai...
- E por que ele tá beijando aquela menina?
- Jana, alguns camaradas não têm jeito...

@OLucasConrado

3 comentários:

brazilcomz disse...

Muito bom. Os diálogos estão ótimos!

Mauro de Bias disse...

Hahaha, bem legal.

Não é autobiográfico não, né?

xcamilaxy disse...

A ironia me fez sorrir.