segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Livro: Três Céus

Três Céus te mergulha na aviação. Você conhece um pouco da rotina de uma das maiores empresas aéreas do Brasil.
(foto: Lucas Conrado)
Vocês sabiam que, quando os comissários vão servir a bebida, eles colocam o gelo antes do suco? Mas, se vão servir refrigerante, a bebida vem antes do gelo? Sabia que não podeb haver duas crianças de colo numa mesma fila de poltronas de avião? E que, enquanto o piloto (ou o copiloto) fica responsável por decolar ou pousar a aeronave, o outro tripulante está em contato com a torre de comando? Pois é, essas e outras curiosidades, eu aprendi lendo o romance Três Céus, do escritor Enderson Rafael e lançado pela Editora Gutenberg.

Além de escritor, Enderson é podcaster do Canal Piloto e "pilossário". Atualmente, ele é piloto em uma das maiores companhias aéreas do Brasil mas, antes de pilotar, Enderson foi comissário de bordo. Por isso, ele escreve com tanto conhecimento, revelando detalhes e curiosidades do cotidiano das tripulações. Essas informações são reveladas enquanto se desenvolvem as histórias de dois comissários e um piloto, que se encontram em um voo que vai transformar suas vidas. O grande mérito do livro é justamente esse: mostrar que além de profissionais ultratreinados para nos transportar com conforto e segurança, ali estão seres humanos, com alegrias, tristezas, medos e sonhos.

Como de costume, a capa do livro no meu Instagram
O livro começa apresentando a história do comissário Lucas Luchesi. Cansado da vida de solteiro, o ex-jornalista tem o grande sonho de encontrar o amor da sua vida. Se a procura por um grande amor já não é muito simples pra um "terráqueo", imagina para alguém que passa a vida voando de um lugar para o outro?

A segunda história apresentada é da comissária recém formada Patrícia Milano. Nascida e criada em Paraty (RJ), a garota queria mais para sua vida e decidiu voar, deixando para trás seus pais e seu namorado. Quando as coisas pareciam estar dando certo na vida da garota, ela descobre que está grávida do namorado.

Já na terceira parte do livro, conhecemos o comandante Fernando Villas. Com anos de experiência cruzando os céus do mundo, o piloto volta ao Brasil e vê seu casamento desmoronar, quando sua esposa decide ir embora para Teresópolis (RJ). Sua situação piora quando se encanta por uma comissária de bordo, muito mais nova que ele.

No fim do livro, as histórias de Lucas, Patrícia e Fernando se cruzam, em um voo que transforma a vida dos três tripulantes e de todas as outras quase 170 pessoas a bordo.

Três Céus mistura muitos elementos fictícios com uma história real. Ela acontece entre meados de 2006 e 2009 (Enderson, me corrija se eu estiver errado), relatando muitas coisas que aconteceram na aviação nesse período. As fusões da Gol com a Varig e a WebJet, o acidente com o Legacy são citados na história. O acidente com o Airbus da TAM, que varou a pista de Congonhas é uma das cenas mais impactantes do livro (os personagens moram perto do aeroporto). E aí que o livro surge com um terceiro viés. Além de ser um romance e quase um livro técnico (contando como funcionam os voos), Três Céus tem um lado político. Questiona as decisões do governo, dos órgãos regulatórios, das companhias aéreas e até dos próprios passageiros que não querem abrir mão de voar para aeroportos menos seguros.

Aliás, por falar em companhia aérea, nenhum nome é citado em momento algum da história. O livro mostra que os personagens voam os Boeing 737 e, atualmente, apenas uma empresa aérea brasileira voa essa aeronave. Eu estava em dúvida se o Enderson falava dessa empresa (que é onde ele trabalha) ou se era alguma fictícia. Depois você descobre que é justamente a empresa real, o que deixa a história ainda mais legal e palpável.

O que mais me prendeu no livro foi justamente esse retrato da aviação nacional. Tal qual meu xará que abre o livro, também sou formado em jornalismo e também sonho trabalhar na aviação. Saber um pouco melhor como é o cotidiano, com suas alegrias e perrengues é muito legal. Isso sem contar com a parte técnica, mostrando os detalhes dos voos, vistos por pilotos e comissários (em tempo, apesar de o livro estar cheio de termos técnicos, a maior parte deles é explicado na própria narrativa e também num glossário de várias páginas no final do livro). Entusiastas da aviação vão adorar o livro.

Mesmo quem não curte tanto a aviação também acaba gostando da história. Os personagens são carismáticos (destaque para o Ricardo, co-piloto zoeiro e conquistador que aparece no meio do livro) e passam por dramas bem reais, que pessoas que voam e "terráqueas" também enfrentam muitas vezes em suas vidas.

Agora, o único ponto que o livro pecou para mim tem mais a ver com a forma como a história é vendida do que com a história em si. Nas sinopses, a gente lê que a vida de Lucas, Patrícia e Fernando vai se entrelaçar no fim. Pela construção dos personagens e tal, dá para imaginar alguma espécie de triângulo amoroso, alguma intriga, ou algo assim. Não. A forma como as três histórias se cruzam é justamente o voo que eles fazem no fechamento do livro. Cada história é um arco que está mais ou menos fechado, com as vidas já encaminhadas. O final do livro é muito bom, de verdade. A situação é angustiante, você corre as páginas para ver como a situação em que são colocados vai acabar. E "toca" Fix You em uma das cenas finais. Coldplay é vida! Mas é um final muito mais abrupto do que eu esperava.

Apesar da quebra de expectativa, Três Céus é um livro muito legal! Te faz rir, te deixa reflexivo, tenso, com raiva e depois alegre de novo. Se você não curte aviação dê uma chance. No mínimo, você vai aprender bastante. Se você é tipo eu, apaixonado pelo assunto, é leitura obrigatória!

2 comentários:

Leandro Lima disse...

Parece um livro muito bom.
Parabéns pelo blog.

Leandro Lima disse...

Parece ser um livro muito bom.
Parabéns pelo blog.