domingo, 9 de dezembro de 2012

Games: Forza Horizon

Anualmente, no Colorado, Estados Unidos, acontece um grande evento automobilístico chamado Horizon. Durante o festival, carros de todas as montadoras competem entre si, além de correrem contra aviões (?), helicópteros (??) e até balões (???), em busca do título de melhor piloto do mundo. Esse é o enredo de Forza Horizon, novo game da franquia Forza Motorsport.

A franquia, lançada para XBox e XBox 360, é conhecida por seu grande realismo. Nos games anteriores, os jogadores podiam regular cada mínimo detalhe do carro para conseguir a melhor performance possível. Quando os carros iam para a pista, o realismo continuava em alta. Qualquer mínimo erro, seu carro rodava na curva e você pararia no muro, acabando a corrida. Aliás, Forza Motorsport 1-4 não eram games de corrida, eram simuladores.

Forza Horizon chega com uma nova cara e com todo potencial para agradar àqueles que preferem games de carro estilo arcade, como eu.  Aliás, não sou um grande fã de jogos de corrida. Prefiro games de tiro e ação, como Call of Duty, Medal of Honor, Assassin's Creed ou mesmo GTA. Mesmo assim, me apaixonei pelo Forza Horizon. Por quê? Vou explicar.

Os primeiros 20 e poucos minutos de Forza Horizon.

Para começar, Forza Horizon não é simplesmente um jogo de corrida. Além de competir (contra outros carros, e veículos mais incomuns, como aviões, helicópteros e balões), você pode também pegar seu carro e passear por aí. E que passeios. O jogo se passa num estado fictício do Colorado, mas esse estado tem uma variedade incrível de cenários e climas. Você pode dirigir através de um grande deserto, de montanhas, chegando bem perto da neve, de uma floresta de pinheiros, além de cidades, fazendas e vários outros ambientes. E que ambientes lindos!

Rodovia duplicada, uma delícia para se dirigir! (Foto: Facebook)

Sério, a equipe caprichou nos gráficos. É até difícil dirigir, porque os cenários são tão lindos, que você quer andar olhando para os lados. Há uma auto-estrada no jogo, duplicada, que se tornou minha via favorita. Você anda por ela a alta velocidade (a uns 270km/h dependendo do carro que pegar) e observa o ambiente ao redor, é incrível! Nascido em Minas e morando em São Paulo e no Rio de Janeiro, passei minha vida na estrada. E nunca me senti tanto em uma viagem quanto me senti no Forza Horizon. Só me deu mais vontade de comprar logo um cabo HD para ver esses cenários em qualidade máxima de imagem.

É até perigoso dirigir olhando essas lindas paisagens! Tentei fazer isso e
bati nos carros que vinham no sentido contrário. (Foto: Facebook)
A iluminação do game é um esculacho. O amanhecer e o entardecer são lindos. Quando a noite cai, você dirige pela estrada e vê, no horizonte, as luzes do festival Horizon (com o perdão de qualquer trocadilho que possa surgir aí). Ouvi em algum lugar que também chove no jogo. Se isso é verdade, eu não sei, mas estou louco para ver os gráficos da chuva.

O grande diferencial do jogo: A rádio totalmente em português. Sério, quem cuidou da dublagem do Forza Horizon está de parabéns. Merece uma salva de palmas de pé. Até que a dublagem da moça que te ajuda durante o jogo ficou um pouco artificial, mas dos radialistas está perfeita! Entonação, gírias, expressões, piadinhas. É o trabalho de dublagem mais bem feito que já vi nos videogames. Uma verdadeira prova de preocupação com o mercado brasileiro! (Aliás, acho que o dublador do Beakman participa do game, fazendo o papel do competidor que gosta de provocar acidentes). É espetacular.

As luzes do Horizon no horizonte... (Foto: Facebook)

Beleza. Falei dos gráficos, falei do áudio, mas vamos ao que interessa. Como é o jogo? 

O jogo é bem equilibrado. Não é extremamente fácil, mas também não é impossível de se jogar. Exige uma certa experiência e sagacidade do jogador. Se você sair acelerando durante todo percurso da corrida, vai bater toda hora e dificilmente vai ganhar alguma coisa. Por outro lado, se você for "medroso" demais, abusando das freadas e arriscando pouco, dificilmente vai chegar a algum lugar na corrida. Um ponto inovador do jogo é o replay.

Olha o por do sol! E o reflexo no carro! (Foto: Facebook)
Por exemplo, você vai lá, na maior dificuldade do mundo consegue ultrapassar todos os adversários, chega na curva final, você roda. Nos jogos tradicionais de corrida, você era obrigado a começar tudo de novo. No Forza Horizon não. Você aperta o Y e o jogo te coloca alguns segundos antes. Se você ainda vai bater, aperte o Y novamente e é colocado mais atrás no tempo. Assim você pode tentar novamente a curva, podendo vencer a corrida.

O quê? Mamateiro demais? Confesso que também achei um pouco, mas isso não diminui em nada o jogo. Até porque, se você quiser, é só não apertar o Y e recomeçar a corrida, simples assim! E, na boa, isso não diminui em nada o desafio e a dificuldade das corridas. Aliás, sabe o que é mamata demais no jogo? Você ganha dinheiro muito facilmente. Às vezes, você acerta uma sequencia de manobras e seu patrocinador te dá 15, 30 mil dinheiros. É muito fácil arrecadar grana para comprar novos carros.

Você é mais rápido que um avião? (Foto: Wikipedia)
Outra forma de se conseguir dinheiro é desafiando os outros competidores que você encontra nas estradas. No melhor estilo Need For Speed (na verdade, o Forza Horizon é um Need For Speed MUITO melhorado), você engata com um carro adversário, aperta o X e começa um racha pelo Colorado.

O jogo é perfeito? Não, não é. Além do probleminha da dublagem (desculpa, dubladora, não ficou tão legal quanto o radialista), o Forza Horizon tem um problema quanto as peças dos carros. Contextualizando, os carros são classificados de acordo com a velocidade, qualidade das peças e tal. E as corridas são designadas para os carros de uma classe específica. Então, por exemplo, tenho um Mitsubishi Lancer da classe S, que é bem veloz, e quero entrar numa corrida da classe A, logo abaixo. Se eu tiver que trocar as peças do carro, terei de comprá-las novamente, mesmo se eu já tiver comprado essas peças antes. No Need for Speed, bastava eu trocar as peças. No Forza Horizon não. Tenho que comprar as inferiores e depois comprar as superiores novamente. Desperdício de grana absurdo!

Outra coisinha que senti falta no jogo foi uma câmera melhor para olhar ao redor. Ainda mais com esses lindos cenários, achei muito limitada a câmera que te permite olhar para os lados e para trás. Ela não gira. Ela simplesmente vira para os lados e para as diagonais. Simples assim.

Apesar desses probleminhas, o Forza Horizon é um jogo excelente. Está entre os melhores jogos de carros (se não for o melhor) que eu já joguei! Como falei lá em cima, é o primeiro jogo que me deu a sensação de estar viajando de verdade, me deu vontade de viajar mesmo! Aliás, se o Colorado for tão bonito na vida real quanto é no Forza Horizon, não quero voltar ao Chile nunca mais.

Um jogo de carro que me agrada da forma como o Forza Horizon me agradou e que me dá vontade de não ir ao Chile, só merece uma nota 10, de 0 a 10!

3 comentários:

Jéssica Campos Fonseca disse...

Jogos de carros são o meu gênero favorito, mas na maior parte das vezes eles não consegue fazer tudo perfeito. Nesse aparentemente estão chegando quase lá, só falta fazer pessoas mais realistas.

Anônimo disse...

Na verdade para baixar o carro de categoria vc n gasta nada e depois q a corrida acaba vc está com ele bom d novo

Lucas Conrado disse...

Verdade. Reparei isso depois que escrevi o texto.